20 de novembro de 2021: 50 anos do resgate da memória de Zumbi dos Palmares 0

Foi num Brasil governado sob o Ato Institucional n°5 (AI-5), que um coletivo de estudantes e intelectuais negros em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, celebrou o primeiro 20 de novembro da História do Brasil. Incomodados pela invisibilização de marcos históricos da população negra no país e pela exaltação do dia 13 de maio (dia da assinatura da Lei Áurea), o Grupo Palmares convocou uma reunião em memória da morte de Zumbi, líder do Quilombo dos Palmares, em 1695.

Estimulados pelo poeta e professor Silveira Oliveira, a reunião ficou intitulada como “Zumbi – a homenagem dos negros do teatro” e aconteceu no dia 20 de novembro de 1971, no Clube Náutico Marcílio Dias, em Santa Catarina. Silveira Oliveira e Carlos Côrtes, enquanto organizadores do evento, foram intimados a depor na delegacia para provar que a conferência não tinha como objetivo fazer críticas ao regime militar, mas sim celebrar a história de lideranças negras, ações que o grupo já vinha fazendo anteriormente. No mesmo ano, o Grupo Palmares também realizou reuniões em celebração à memória do advogado Luís Gama e do jornalista José do Patrocínio.

Simbolismo

Zumbi e o Quilombo dos Palmares são símbolos da organização e resistência negra durante o período de escravidão. Localizado na capitania de Pernambuco, Palmares abrigou cerca de 30 mil pessoas na Serra da Barriga. Foram anos de batalhas até perderem o principal líder, que teve a cabeça exposta na Praça do Carmo, em Recife, para demonstrar a força da Coroa Portuguesa e mandar um sinal aos que viam em Zumbi uma referência.

Hoje, Palmares fica localizado em Alagoas por conta de uma sanção aplicada a Pernambuco referente à Revolução de 1817. Por ter se tornado independente de Portugal por 70 dias, parte das terras pernambucanas foram retiradas da capitania.

A região da Serra da Barriga atualmente. Foto: Agência Alagoas.

O contexto em que o 20 de novembro foi celebrado pela primeira vez era o de maior censura e perseguição a organizações de guerrilha desde a instituição da Ditadura Civil-Militar no Brasil. Além disso, o regime também interferiu na preservação de memórias e personagens que contrariassem seus próprios ideais e utilizava de metodologias de ensino nas escolas que orientavam os estudantes muito mais à obediência do que a reflexão crítica.

20 de novembro hoje

Mesmo tendo apenas 12 participantes na reunião, a prática de celebrar o 20 de novembro se popularizou em diversos grupos do movimento negro pelo país. Em 1995, a data ganhou o nome de Dia da Consciência Negra. 8 anos depois, em 2003, entrou no calendário escolar. Foi instituído oficialmente em 2011 através da Lei n° 12.519 e recebeu o nome de Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra.

Acervo pessoal de Oliveira Silveira

Este ano, voltou a ser tramitada pelo Congresso Nacional para se tornar um feriado nacional. Atualmente, a data é feriado em pouco mais de mil cidades e nos estados do Amazonas, Amapá, Mato Grosso, Alagoas e Rio de Janeiro.

Acompanhe as manifestações do Dia da Consciência Negra pelo Brasil.

#consciencianegra #20NforaBolsonaroRacista

Foto de destaque: acervo pessoal de Oliveira Silveira

Assine a nossa newsletter