O Clima é de Mudança! Coalizão favelada e periférica convoca evento para debater justiça socioambiental e climática no Circo Voador Comentários desativados em O Clima é de Mudança! Coalizão favelada e periférica convoca evento para debater justiça socioambiental e climática no Circo Voador 780

Neste domingo (6/11), acontece no Circo Voador o evento da Coalizão “O Clima é de Mudança!”, formada pelas organizações Plataforma Cipó, Visão Coop, LabJaca, data_labe e Agenda Realengo 2030. A coalizão nasce com objetivo de reivindicar e debater a justiça socioambiental e climática a partir dos territórios periféricos, além de valorizar a ancestralidade e as ferramentas que devem ser consideradas nos grandes espaços de decisão sobre clima, como a COP27, que começa na mesma data em Sharm El Sheik, no Egito. 

O evento contará com oficinas sobre tecnologias verdes e mesas temáticas sobre meio ambiente e garantia de justiça. Entre os palestrantes estão MV Bill, Eloy Terena, Lidia Guajajara, Lucia Xavier e outros. 

No encerramento, vai rolar show do “Proteja Os Seus Sonhos” e convidados da plataforma AUR e, na transição, pocket show da Africanoise e Ôlirium.

As inscrições têm vagas limitadas e preferência para os 150 primeiros inscritos. Após as oficinas, no horário de 16h, a casa abre pra geral comparecer ao Circo para debater justiça climática. E aí, bora?

Por que é importante a favela pautar justiça socioambiental e climática?

Em 2022, pelo menos duas grandes tragédias tomaram as manchetes em regiões periféricas brasileiras, sendo uma em Petrópolis, cidade da Região Serrana do Rio de Janeiro e outra em Pernambuco na Região Metropolitana do Recife e também nas Zonas da Mata pernambucana. Juntos os dois eventos vitimaram fatalmente mais de 300 pessoas e deixaram milhares de pessoas desabrigadas.

São fatos alarmantes como esses que ilustram o que já afirmam dados científicos, como os que constam no segundo volume do Sexto Relatório de Avaliação do IPCC, o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas das Nações Unidas (ONU) divulgado em fevereiro de 2022. De acordo com o documento, pessoas que vivem em periferias têm 15 vezes mais chances de morrer em eventos climáticos extremos, como enchentes, secas e tempestades.

É nesse sentido que o co-fundador do LabJaca, Thiago Nascimento, comenta sobre como é caro para a favela falar sobre os efeitos das mudanças climáticas. “A gente sabe muito bem que os efeitos das mudanças climáticas e esse impacto ambiental está muito mais presente dentro da favela. Tem o exemplo do Jacarezinho, onde a coleta de lixo não é feita da forma correta, a gente vê lixo espalhado por toda favela, tem o rio completamente poluído, que, quando chove, enche várias casas dos moradores”, relata.

Thiago, que é também um dos mobilizadores do evento no Circo Voador, ressalta ainda a importância da favela tomar a frente nesse debate. “A gente conseguir debater e pensar tecnologias pra desafiar e mitigar esses impactos é fundamental pra que tenha uma resistência presente dentro da periferia. Porque infelizmente a gente se depara com essa ausência seletiva do poder público e não estão sendo pensadas políticas públicas pra sanar esses problemas”, acrescenta.

Marcele Oliveira, coordenadora da Coalizão O Clima é de Mudança e integrante da Agenda Realengo 2030, lembra que é nas favelas, subúrbios e periferias do Sul Global em que as pessoas são mais afetadas e, sendo assim, as pessoas desses territórios precisam liderar a discussão de políticas públicas sobre o tema.

“É imprescindível que na hora dos debates e das discussões sobre esse tema, a gente esteja lá pra poder levantar essa bandeira, que é a nossa bandeira. Que é, não só de uma sociedade mais sustentável, mas de uma sociedade que perceba que é uma questão de vida ou morte. E que a morte tem CEP, tem endereço, tem classe, tem raça e principalmente tá colocando o nosso futuro em questão”, declara Marcele.

A coordenadora defende que a coalizão cumpre um papel de trazer a juventude para debater a pauta climática, para defender aqui mesmo o futuro, os sonhos, a qualidade de vida. “A gente sabe que essa defesa acontece não só no macro, em eventos como COP27, mas também no micro, como esse evento formativo que a gente vai fazer no Circo Voador, como a Agenda Realengo 2030, a Agenda Queimados 2030, a Carta de Saneamento da Maré, como todos os trabalhos que a gente vem realizando em cada projeto que compõe a coalizão”, conclui.

Serviço:

Coalizão O Clima é de Mudança – Circo Voador, dia 06 de novembro, às 16h
Rua dos Arcos, s/n – Centro, Rio de Janeiro – RJ

Mesas: 

  • 16h – 17h30 : Do local ao global – o papel do internacional para soluções locais na construção da justiça climática, com Eloy Terena, Thais Santos e Junior Aleixo;
  • 18h – 20h : Justiça racial e climática, com Lidia Guajajara, MV Bill e Lúcia Xavier;
  • 21h – 21h40 : Show com Africanoise + Ôlirium;
  • 21h40 – 23h : POSS + Convidados

Para mais informações, acesse o perfil oficial da coalizão clicando aqui.

*Edição: Renato Silva | Imagem detacada: Divulgação

Matéria anteriorPróxima matéria

Assine a nossa newsletter